Pode parecer estranho falar sobre sexo seguro, mas a verdade é que muito importante numa relação. Pois falar sobre o procedimento mostra que se preocupam, além de que irá ajudar a melhorar o relacionamento com o parceiro!

Mas como falar sobre sexo seguro com o parceiro?

A melhor altura para se falar sobre sexo seguro com o parceiro é sempre ANTES de ter relações come ele. Independentemente se for sexo oral, vaginal, ou anal… a conversa deve ser antes de qualquer tipo de relação!

O objetivo da conversa deve ser avaliar se ambos estão confortáveis com o uso de preservativos ou outro tipo de proteções para si próprios; mais, devem também ter a certeza que não sofrem de doenças sexualmente transmissíveis (DST).

Que perguntas posso fazer para praticar sexo seguro?

Para ter a certeza de que está a fazer tudo bem com o seu parceiro, há algumas perguntas que pode fazer, e assim avaliar se vai praticar sexo seguro com ele…

  • Sabes se tens alguma DST?
  • Quando foi a última vez que fizeste exames para DST?
  • Normalmente usas preservativo?
  • Já alguma vez partilhaste agulhas com outra pessoa? Para fazer tatuagens, piercings, drogas?
  • Já tiveste alguma DST? Quais? Fizeste tratamento?

São perguntas que podem deixar qualquer um envergonhado ao início, mas é preferível do que viver com a sensação de que algo de errado se passa. Uma boa forma de começar a conversa é dizer ao seu parceiro que se preocupa com ele e que quer que tudo corra bem entre os dois, sendo que fazer sexo seguro é importante para eles e para a relação!

Se preferir, pode até começar pelo seu historial, o que irá deixar o parceiro mais confortável e mais à vontade para falar sobre o seu histórico, pois já houve uma abertura de uma das partes. Uma boa ideia é fazer os exames para DST juntos, assim podem-se apoiar um ao outro.

Como evitar as DST?

Evitar as doenças sexualmente transmissíveis é possível e é uma forma de se ter sexo seguro! Assim, além da proteção recorrendo aos contracetivos, como preservativos, outra forma é manter relações sexuais apenas com um parceiro de cada vez e não vários ao mesmo tempo.

Os dois têm que estar comprometidos em fazer sexo apenas um com o outro, bem como falar entre si. Ainda assim, é verdade que um pode não gostar de ser monógamo, ou mesmo os dois, mas se tal for o caso, com uma relação aberta, têm que se certificar de que ambos têm cuidados ao ter relações com outras pessoas. Pois há que evitar as DST!

Lembrem-se, não se sabe se uma pessoa tem uma DST apenas pelo aspeto. A maioria das DST são transmitidas sem sintomas e as pessoas não chegam a aperceber que estão infetadas!

Algumas das DST, como o HIV, só aparecem nos exames, meses depois de ter sido transmitida (devido aos períodos de incubação das mesmas). Assim, para um sexo seguro, devem fazer exames antes do inicio da relação e depois repetir ao fim de uns meses, e, entretanto, usar sempre proteção!

As doenças sexualmente transmissíveis são comuns, e todos nós podemos apanhar. Planeie sempre o seu sexo, e faça exames regularmente, mesmo que achem que não têm DST, devem de fazer exames de controlo.

O meu parceiro não quer ter sexo seguro?

Se o seu parceiro não quiser usar proteção, nem fazer exames, pode significar que a vossa relação não está saudável! Que não é uma relação de confiança… e quando alguém recusa ter sexo seguro, significa que a sua saúde não é importante para essa pessoa…

Talvez não seja a pessoa ideal para ter sexo!

Lembre-se que algumas doenças sexualmente transmissíveis podem provocar problemas de saúde graves, como infertilidade, ou em casos extremos levar à morte!

Assim se o seu parceiro não quer fazer sexo seguro, nem fazer exames para descartar DST, então o melhor é não ter qualquer contacto sexual com ele… se ele ficar zangado e mesmo terminar a relação, então essa é a melhor forma de ter sexo seguro!